Nau dos Mestres - A curiosidade é o começo de toda aventura!

Câmara de Itaí aprova suplementação e funcionários não ficarão sem pagamento

Luis Carlos Luciano
Luis Carlos Luciano Itaí
Professores e funcionários dividiram a platéia

Em sessão extraordinária realizada na noite desta segunda, 03/12, os vereadores itaienses votaram o projeto 030/2018 que tratava de suplementação de verbas para, entre outros, quitar os vencimentos do funcionalismo público do município que já deveria ter recebido na semana passada, embora o pagamento ainda esteja dentro do prazo.

Projeto idêntico foi colocado em votação na semana que se passou e foi rejeitado por sete votos a um, votando a favor do mesmo, apenas o vereador Luiz Antônio Bérgamo, o Naná enquanto que o presidente  Ronaldo Aparecido dos Santos (Ronaldo Som) ficou isento de votar.

A votação contrária ao projeto gerou grande polêmica na cidade, visto que com a recusa, os funcionários ficaram impossibilitados de receber não só seus vencimentos já previstos, como também ficaram sem cestas-básicas e correndo risco de ficar sem o décimo terceiro salário, o que seria uma catástrofe para o funcionário e para o comercio local num todo.

Porém, nesta segunda, o Projeto foi aprovado por cinco votos a favor e quatro contra, o que permite que todos os funcionários recebam seus vencimentos, o que deverá estar na conta de cada um deles, segundo o setor competente da prefeitura, às 00,00 horas de quarta-feira, ou seja, na virada de terça para quarta.

Da votação: Alguns dos vereadores que votaram contra o Projeto em seu primeiro envio se mantiveram irredutíveis e ratificaram seu voto, sendo que alguns deles utilizou a Tribuna para expor o porque de votar contra, tecendo duras criticas ao chefe do executivo. Outros que também haviam votado de forma contrária, mudaram sua posição e votaram, embora com ressalvas e criticas, a favor da suplementação.

Votaram contra a Suplementação os vereadores Ana Lucia Fogaça (Laka do Gás) Avelino Niceto, Ronaldo Soares Leite (Tatu) e Sueli Idem. Votaram a favor da aprovação do Projeto os vereadores Antônio Cardoso dos Santos (Mosquito), Denilson José de Almeida (Alegria), Luiz Antônio Bérgamo (Naná), Luiz Fernando Rotelli (Delegado) e, desempatando a votação se valendo do seu cargo de presidente e com o voto minerva, o presidente Ronaldo Aparecido dos Santos (Ronaldo Som).

Do Projeto: O projeto que causou controvérsias e dividiu a Câmara Municipal, solicitava a aprovação da Câmara para que o Executivo realizasse a Abertura de um Crédito Suplementar no orçamento de 2018, no  valor de R$ 7.667.499,99, que seria destinado a vencimentos e vantagens fixas, pessoal civil, encargos sociais, auxilio alimentação (cestas-básicas), reforma do telhado da EMEF Profª  Apparecida Cagliari Rolim e outros elementos econômicos.

Para tal suplementação seriam remanejados dotações orçamentárias das Secretarias da Saúde, Educação e Social, que segundo o Executivo, não prejudicaria a aplicação dos índices constitucionais a eles fixados, visto que até o dia 20 de novembro último, já haviam sido aplicados o percentual de 28,14% na educação sendo que o mínimo constitucional exigido é de 25% e, na Saúde, foi aplicado o percentual de 29,61% quando se cobra o mínimo investido de 15%.

A categoria dos professores se sentiu lesada e se posicionou contra a suplementação, os vereadores (a maioria deles na primeira votação) entenderam que a aprovação do Projeto não era viável e consideraram a solicitação, ato falho do Executivo. Em segunda votação, entenderam então, na sua maioria, que o confronto com o Executivo iria atingir a classe dos funcionários municipais e, de forma sensata, decidiram pela aprovação da suplementação, o que vai trazer um alento às mais de 800 famílias itaienses que dependem dos vencimentos da municipalidade.