Câmara de Itaporanga aprova abertura de investigação sobre supostas irregularidades no governo Cacheta

Luis Carlos Luciano
Luis Carlos Luciano Itaporanga
Vice prefeito Douglas Benini, autor da denúncia - foto internet

Acatando denuncia protocolada pelo vice-prefeito Douglas Benini, a Câmara Municipal de Itaporanga aprovou por 6 votos à 3, a abertura de uma Comissão Especial de Investigação  para apurar supostas irregularidades da Administração Cacheta, na contratação de Transporte Escolar e gastos com combustíveis no município.

Segundo a denúncia do vice-prefeito, o atual mandatário, prefeito Vilson Aparecido Rodrigues, teria praticado irregularidades na terceirização do transporte escolar, como a contratação de uma empresa impedida pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado, por ter supostamente lesado o município de Angatuba-SP.

Ainda de acordo com a denúncia, foram terceirizadas 10 (dez) linhas escolares e esperava-se uma redução de gastos com combustíveis, mas, segundo consta, houve um aumento de 94%, passando de R$ 201.099,69 para R$ 391.606,09. Consta ainda da denúncia que a empresa contratada não possui veículos próprios, valendo-se de subcontratação de terceiros e a preços por Km rodados bem acima dos preços pagos nessa modalidade pelos municípios vizinhos e que os motoristas da frota municipal assinam requisições em branco para abastecimento dos veículos, e que uma máquina tinha ficado 52 dias parada de baixo de uma árvore no Bairro São Sebastião e mesmo assim há registros que ela recebeu abastecimento.

Os vereadores Marcelo Camargo (presidente da Câmara), João Evangelista dos Santos (João Piá), Fábio Benini, Gerson Viana,  Josivan Pereira Dias e Trajano de Oliveira Filho votaram a favor da abertura da investigação enquanto que os vereadores João de Melo, Custódio  e Carlinhos da Ambulância votaram contra a aceitação da denuncia.

O prefeito Vilson Aparecido Rodrigues, o Cacheta, diz estar tranquilo em relação às denúncias que lhe foram atribuídas, visto que segundo ele, agiu de forma transparente e dentro da legalidade quando da licitação dos serviços contratados. Para Cacheta, o trabalho continua e sua lealdade ao município assim como sua honestidade empenhada na administração municipal será confirmada na apuração dos fatos.