Vigilância Epidemiológica confirma casos de Chikungunya e Dengue em Itaporanga

Assessoria de Comunicação
Assessoria de Comunicação Itaporanga
Imagem ilustrativa

A Secretaria Municipal da Saúde de Itaporanga comunica que o município está em alerta contra o mosquito aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zica. Do final do ano passado até hoje, a Vigilância Epidemiológica registrou quatro casos das doenças na cidade, sendo um caso confirmado de Chikungunya, no bairro CDHU, e três casos aguardando resultado para Dengue, no bairro Parque das Nações e na Avenida Santa Cruz.

A Vigilância Sanitária, juntamente com a Vigilância Epidemiológica de Itaporanga, alerta para os riscos da transmissão no município e pede para que a população colabore para evitar água parada e lixos e entulhos jogados a céu aberto. “É preciso uma conscientização efetiva da população diante dessas doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti. Não basta a administração pública fazer a sua parte coletando lixo e entulhos, roçando terrenos públicos, se a população não colaborar. É preciso que todos fiscalizem sua casa, quintal e vizinhança para que limpem as áreas abertas e destinem adequadamente os recipientes descartáveis que vão para o lixo, porque muitas vezes eles são simplesmente jogados na rua. Todo o lixo deve ser colocado em sacos pretos, tanto os recicláveis quanto os comuns, e esses sacos devem ser bem fechados e colocados na calçada no dia e horário específico da coleta, conforme cronograma de coleta de lixo e de recicláveis divulgados pelos setores responsáveis. Fora isso, é preciso que cada um cuide, também, do interior de suas casas, como ralos, pias, vasos sanitários, vasos de plantas, calhas, piscinas, aquários, tudo que retém água deve ser bem limpo semanalmente, já que o ciclo reprodutor do mosquito é de 15 dias”, alerta a secretária municipal da Saúde de Itaporanga Andréia de Fatima Freitas Ferreira.

Segundo informações da Vigilância Sanitária, vários focos de larvas da dengue foram encontrados em toda cidade. “A fiscalização e campanha contra essas doenças são constantes, principalmente nesse período de calor e chuva, mas a sociedade tem que fazer sua parte também, porque estamos encontrando focos de dengue em toda a cidade. E quem souber de residências descartando lixo irregularmente ou terrenos baldios onde a população joga lixo deve denunciar às autoridades e à Vigilância Sanitária para que tomemos as devidas providências em notificar e multar os infratores”, orienta a secretária Andréia.

COMO EVITAR LARGAS DOS MOSQUITOS

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente com a dengue em mais de 100 países de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em consequência da dengue. Embora pareça pouco agressiva, a doença pode evoluir para a dengue hemorrágica e a síndrome do choque da dengue, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, o que eleva o risco de morte.

Já é sabido que para prevenir a dengue, chikungunya e zica  é necessário evitar o acúmulo de água parada, uma vez que o mosquito deposita seus ovos em recipientes ou locais cheios do líquido. No entanto, existem diversas orientações para a prevenção, como:

- Coloque tela nas janelas de casa e comércio

- Coloque areia nos vasos de plantas

- Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos, riachos ou terrenos baldios

- Coloque desinfetante nos ralos de casa e comércio

- Limpe as calhas da casa e comércio

- Fazer limpeza regular de piscinas e aquários

- Usar larvicidas nos lugares onde há água parada que não pode ser eliminada

- Usar inseticidas nas casas e comércio no período de calor e chuva

- Usar repelente diariamente no período de calor e chuva

SINTOMAS DA DENGUE

Dengue clássica

A dengue clássica é a forma mais leve da doença, sendo muitas vezes confundida com a gripe. Tem início súbito e os sintomas podem durar de cinco a sete dias, apresentando sinais como febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, entre outros.

Dengue hemorrágica

A dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com dengue sofre alterações na coagulação sanguínea. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte. No geral, a dengue hemorrágica é mais comum quando a pessoa está sendo infectada pela segunda ou terceira vez. Os sintomas iniciais são parecidos com os da dengue clássica, e somente após o terceiro ou quarto dia surgem hemorragias causadas pelo sangramento de pequenos vasos da pele e outros órgãos. Na dengue hemorrágica, ocorre uma queda na pressão arterial do paciente, podendo gerar tonturas e quedas.

Síndrome do choque da dengue

A síndrome de choque da dengue é a complicação mais séria da dengue, se caracterizando por uma grande queda ou ausência de pressão arterial, acompanhado de inquietação, palidez e perda de consciência. Uma pessoa que sofreu choque por conta da dengue pode sofrer várias complicações neurológicas e cardiorrespiratórias, além de insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural. Além disso, a síndrome de choque da dengue não tratada pode levar a óbito.

SINTOMAS DA CHIKUNGUNYA

Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez.

SINTOMAS DA ZICA

Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos.

Vigilância Epidemiológica alerta:

“Caso alguém tenha suspeita de estar com dengue, chikungunya ou zica, deve imediatamente procurar um PSF ou hospital para ser atendido por um médico que encaminhará os exames para averiguação e prescreverá medicamentos adequados para evitar que a doença se agrave. A pessoa com suspeita das doenças ou com confirmação deve manter repouso absoluto, não deve sair de casa e usar repelente diariamente para evitar a transmissão da doença por meio de picadas de mosquitos aedes aegypt, que são confundidos com pernilongos. É importante informar que a transmissão se faz quando o mosquito pica uma pessoa infectada com o vírus da doença e depois pica outra pessoa, transmitindo o vírus para esta”, explica a secretária Andréia.

Para mais informações, dúvidas ou denúncias sobre os assuntos que envolvem essas doenças, o cidadão deve ligar para a Vigilância Sanitária no telefone (15) 3565-1511, ramal 205.